Para viver no mundo atual com qualidade de vida é preciso ter cada vez mais conhecimentos, respeitar valores e desenvolver atitudes positivas.



Os conhecimentos produzidos pela humanidade ao longo da história são um valioso tesouro que nos permite compreender o mundo, interagir com as pessoas e tomar decisões.

Ler, observar, registrar, analisar, comparar, refletir e expressar-se são algumas formas de compartilhar esse tesouro.

Olhar uma pintura é como partir para uma viagem, uma viagem com muitas possibilidades, incluindo o entusiasmo de compartilhar uma visão de uma outra época.

Como em qualquer viagem quanto melhor a preparação, mais gratificante será a expedição.

A melhor maneira de viajar é com um guia que o ajude enquanto você se familiariza com o novo ambiente, e que lhe mostrem coisas que do contrário passariam despercebidas.


Assim é o meu objetivo como Mestre, levar meus alunos a uma maravilhosa viagem ao mundo da ARTE





quarta-feira, 4 de abril de 2012


Arte Barroca


O Barroco nasceu na Itália, que desde o Renascimento se tornara o maior pólo de atração de artistas em toda a Europa e o maior centro irradiador de influência. Nos dois terços finais do século XVI esteve em vigor uma derivação tardia do Renascimento, conhecida como Maneirismo, que muitos autores consideram um estilo autônomo, o qual se estendeu por toda a Europa, também a partir da Itália.

As obras barrocas romperam o equilíbrio entre o sentimento e a razão ou entre a arte e a ciência, que os artistas renascentistas procuram realizar de forma muito consciente. Na arte barroca, predominam as emoções e não o racionalismo da arte renascentista. O estilo barroco traduz a tentativa angustiante de conciliar forças antagônicas; bem e mal; céu e terra; pureza e pecado; alegria e tristeza; espírito e matéria.

Artistas desse período

Van Jijn Rembrandt

Michelângelo Merisi (Caravaggio)



Diego Velásquez


Barroco no Brasil
No Brasil Colonial, a presença dos jesuítas teve grande importância no processo de disseminação do cristianismo católico no interior da colônia. Não por acaso – visando aperfeiçoar suas ações missionárias –, os jesuítas trouxeram da Europa as influências estéticas de cunho fortemente religioso que marcaram o estilo barroco. Na maioria das vezes, esse tipo de criação se manifestou na construção de igrejas e imagens religiosas que tomavam campo nos centros urbanos do país.
De forma geral, as obras e construções barrocas eram fabricadas a partir do uso de pedra-sabão, barro cozido e madeira policromada ou dourada. Além disso, existiu uma visível preocupação em se reproduzir movimentos de conteúdo dramático, o uso de linhas curvas, a preferência por construções de porte grandioso e o uso de um impacto  capaz de chamar atenção dos apreciadores. O barroco tentou exprimir uma religiosidade de princípio medieval com a sofisticação da arte renascentista.


Dentre os principais representantes dessa arte podemos destacar o escultor Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho, e o pintor Manuel da Costa Ataíde.


  • O Aleijadinho (1738-1814)


  • Antônio Francisco Lisboa nasceu em Ouro Preto. Seu pai era arquiteto e sua mãe era escrava. Aprendeu seu ofício trabalhando com o pai e observando pintores e escultores. O apelido deve-se ao fato de ter adoecido( não se sabe, ao certo, se porfiria, lepra, escorbuto ou sífilis), por volta dos 40 anos, ficando com as pernas e mãos deformados. Como não podia mais se locomover, ele era carregado por dois escravos que amarravam, em suas mãos, os instrumentos de que necessitava para esculpir. Usava preferencialmente madeira e pedra-sabão em suas esculturas.




    Nasceu em Mariana, em 1762, e morreu em 1830. Foi considerado um dos mais importantes pintores do Barroco no Brasil e influenciou muitos outros até o século 19. Sua maior obra está na Igreja da Ordem Terceira de São Francisco.

    Pouco se sabe sobre sua vida e formação artística e nem todas as suas criações estão documentadas, mas deixou obra considerável, espalhada em várias cidades mineiras. Uma das características da sua expressão era o emprego de cores vivas em inusitadas combinações, que têm sido associadas à exuberante natureza do país; no seu desenho, os anjos, as madonas e os santos apresentam às vezes traços mestiços; por isso é tido como um dos precursores de uma arte genuinamente brasileira. Foi contemporâneo e parceiro de trabalho de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, cujas estátuas encarnou. Hoje Mestre Ataíde é considerado um dos maiores nomes e um divisor de águas na história da pintura brasileira, e o maior representante da pintura do Brasil colonial

              
    Última Ceia






    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Postar um comentário